Agora Cronico Eu

Crónica Fria

Em 1985, ainda em clima de Guerra Fria, o músico Sting lança “Russians”, cujo compasso é marcado pela frase “I hope the Russians love their children too.” e foi este apelo à ternura dos Russos que a tornou icónica.

 

Sting faz vários apelos a ambos os lados “of the political fence”. Se por um lado Nikita Kruschev ameaça destruir o sistema capitalista americano através do poder comunista soviético, por outro lado Ronald Reagan garante que vai ganhar a guerra. Mas músico quer relembrar algo bastante importante: “there’s no winnable war”, em seio de guerra não há vencedores, o que fica são rastos de perdas e de destruição, “It’s a lie we don’t believe anymore”.

 

Numa altura em que se odiavam os Russos, assumindo que eram robôs programados para fazer explodir, Sting assistia a uma versão russa  de A Rua Sésamo. Foi nesse momento que sentiu a necessidade de escrever esta canção, como que lançando um apelo às gentes, para que tentassem perceber que a guerra, tal como não era de todos os Americanos, também não era de todos os Russos. “We share the same biology, regardless of ideology” – o que pode ser algo bastante cliché de se dizer mas que é bom ser relembrado, principalmente nestas ocasiões.

 

Sting quis que a música fosse gravada na Rússia com uma orquestra Russa mas foi, burocraticamente, impossível. O que conseguiu foi usar o tema “Romance” da Suite Lieutenant Kijé do compositor Russo Sergei Prokofiev,

 

“Acredito mesmo que, de forma a moderar esta tensão, não podemos confiar na classe política – já se provaram completamente ineptos. Cabe-nos agora enquanto indivíduos encetar contactos entre ambas as partes por trás da “Cortina de Ferro”, de forma a vê-los com os nossos olhos e perceber que do outro lado estão seres humanos e não idiotas sub-robóticos.” disse Sting à Record Magazine.

 

“Não é uma ode à União Soviética. Não é uma ode aos Estados Unidos da América. É uma ode às crianças.”

 

Podia ter escrito sobre o que se passa efectivamente hoje, é verdade. Mas desde que abri as notícias que não paro de cantar: “I hope that Puttin love their children too.”

 

Letra

In Europe and America there’s a growing feeling of hysteria
Conditioned to respond to all the threats
In the rhetorical speeches of the Soviets
Mister Krushchev said, “We will bury you”
I don’t subscribe to this point of view
It’d be such an ignorant thing to do
If the Russians love their children too
How can I save my little boy from Oppenheimer’s deadly toy?
There is no monopoly on common sense
On either side of the political fence
We share the same biology, regardless of ideology
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too
There is no historical precedent
To put the words in the mouth of the president?
There’s no such thing as a winnable war
It’s a lie we don’t believe anymore
Mister Reagan says, “We will protect you”
I don’t subscribe to this point of view
Believe me when I say to you
I hope the Russians love their children too
We share the same biology, regardless of ideology
But what might save us, me and you
Is if the Russians love their children too

Gostaste desta crónica? Podes ler mais em #agoracronicoeu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.