• Made In English,  Opinião,  Sugestões de Leitura

    “Your Fathers, Where Are They? And the Prophets, Do They Live Forever?” de Dave Eggers

      Oh, Eggers, Eggers, que bem me fazes tu!   Para quem não conhece Dave Eggers, tenho uma pequena introdução na opinião que fiz sobre “A Heartbreaking Story of Staggering Genious”, o primeiro livro da sua carreira de escritor. “Your Fathers, Where Are They? And the Prophets, Do They Live Forever?” aparece 14 anos depois. Este é um livro cujo personagem principal, Thomas, procura respostas sobre o mundo a partir de um evento específico, a morte do seu melhor amigo. Para isso,conversa com várias pessoas que de alguma forma fizeram parte da sua vida ou estiveram relacionadas com o evento, desde um astronauta, ao médico responsável do hospital na noite…

  • Clássicos e Ícones,  Made In English,  Opinião

    “Flowers for Algernon” de Daniel Keyes

    Não há muitos livros que eu aconselhe, sem receio, toda a gente a ler. Mas “Flowers For Algernon” é um deles sem dúvida alguma. Além de ser um livro magistralmente bem escrito, na minha opinião é impossível sair-se dele ileso. Algernon é um rato de laboratório que é submetido a uma cirurgia ao cérebro para aumentar o seu QI – na realidade depois de várias experiências noutros animais, é o primeiro no qual a cirurgia resulta. Charlie é um deficiente mental com um QI de 68 e o primeiro ser humano a ser submetido à mesma experiência depois dos resultados de sucesso obtidos com Algernon. Charlie é o escolhido porque,…

  • Made In English,  Opinião

    “On The Road, the original scroll” de Jack Kerouac

    “On The Road, the original scroll” tinha tudo para ser uma leitura maravilhosa e é por isso mesmo que ainda hoje não entendo porque não o foi. Tem todos os elementos que me fascinam: é auto-biográfico, não obedece a regras formais da literatura, parece escrito de um fôlego, numa corrida atrás das memórias para que elas não se diluam no irreal, sentimentos à flor da pele, personagens transtornadas, à procura delas mesmas, sem finais, muito menos felizes. O cenário idílico para me perder numa leitura que deveria ter sido arrebatadora, mas que ainda hoje não consigo descortinar o que foi para mim.   Jack Kerouac nasceu em Massachusetts em 1922,…